segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Elviro Augusto da Rocha Gomes (faleceu)

(em construção)

Natural de Constância. Poeta, escitor, tradutor e publicista. Formado em Germânicas, pela Universidade de Coimbra. Leccionou em Coimbra, Lisboa, Funchal, Viana do Castelo e Faro. Esreveu para jornais e revistas como "Aurora de Lima", "Diário do Norte", "Gazeta do Sul", "Algarve Ilustrado", "Correio do Sul", "O Algarve", "Labor", entre outras. Foi Director do Círculo Cultural do Algarve, desenvolvendo importante trabalho. Além de muitas conferências, escreveu e publicou um rol extenso de obras. (transcrito daqui)

Inicialmente, conhecia-o apenas de vista pois era professor no liceu onde eu estudava. Já não sei como me tornei amiga de uma das filhas - a mais nova - e comecei a frequentar a casa. Uma outra filha foi leccionar para o mesmo liceu: era uma mulher jovem, conhecedora, divertida; uma lufada de ar fresco no Liceu. Não fui aluna dela, mas pedia-lhe para me deixar ir fazer os testes, de estimulantes que eram. Depois, fui aluna do pai e mais não sei quantas estagiárias - ele era o metodólogo. No 7º ano (equivalente ao 10º de hoje) voltei a tê-lo como professor - mas já sem as estagiárias. Depois eu fui parar ao ensino e tornámo-nos amigos. E fazia-me sempre chegar um exemplar, de cada vez que saía um seu novo livro.

Em parte - e ainda que involuntariamente - talvez tenha sido ele o responsável por eu ter ido parar ao ensino. No último período do 7º ano, disse-me que só me daria 19 se eu mostrasse que sabia tanto quanto ele (quem o conheceu sabe como era o seu humor), pelo que teria de dar uma aula às minhas colegas. E eu tive tal prazer na preparação e na leccionação da aula e foi tal a reacção das minhas colegas que pensei, pela primeira vez, que talvez tivesse piada ser professora... Ah, e tive 19, no fim do período.

Foi provavelmente também graças a ele - mais uma vez involuntariamente - que o meu nome foi parar à PIDE/DGS. O Dr Rocha Gomes convidou-me, por várias vezes, para ir ler poemas em conferências proferidas por ele ( e também o fiz numa conferência da nossa querida professora de Latim, Drª Joana Meira). Infelizmente, aquilo que hoje podia ser uma honra para mim, foi obtido sem mérito. O Dr Rocha Gomes era um homem de esquerda mas eu, uma adolescente de 16-17 anos, do sexo feminino, a viver na província, em pleno fascismo, não tinha lá muita noção do que isso significava.

São vários, muitos, os bons momentos que recordo mas aquele que recordo com mais ternura foi a última vez em que estive com ele mais tempo: na tarde em que o fui buscar para irmos lanchar no «Paquete». À beira-mar.

domingo, 9 de agosto de 2009

lamento

abro uma excepção porque preciso de sublimar uma dor e lançar um alerta.
MiguelPortas gastou uma fortuna (d@s portugues@s) em submarinos mas

os submarinos não apagam fogos.

E, depois de terem

espremido o litoral,

querem agora espremer

o interior. Os furos

para os campos de golfe

do litoral fizeram com que

as águas salgadas avançassem

ao longo de vários Kms para o

interior, dando cabo das nascentes.

Agora fala-se num campo

de golfe na Serra do

Caldeirão e muitas

camas para turismo. Muitas.
E a serra não pára de arder...
No meu montículo, arderam
os palheiros
as laranjeiras
as alfarrobeiras
os sobreiros
as ameixeiras
as oliveiras
a nespereira
a figueira
o limoeiro
a vinha (cepas com cerca de 100 anos que faziam um tinto excelente)
as piteiras
as azinheiras
os medronheiros
a pereira
a salsa
a neva
o funcho
a esteva
as roseiras
o alecrim
a alfazema
o tomilho
as malvas
as sempre-vivas
...



quinta-feira, 2 de julho de 2009

Devido a dificuldades de acesso, o filme continua

aicebergui...


Lamenta-se o aicebergui, em comentário de post abaixo, que não consegue comentar...
Não sei o que se passa; a única coisa que posso fazer é apresentar o livro de reclamações :-(

quarta-feira, 1 de julho de 2009





segunda-feira, 29 de junho de 2009

REBELIAR-SE (este chegou depois do acordo)


Não é por acaso que a senhora até já foi minista de educação. Vejam como está empenhada em renovar a língua portuguesa. Por isso, rebeliou-se contra a conjugação de verbos... digamos... menos dignos... sei lá. É que «rebelar-se» é um verbo que deveria sair do vocabulário de um qualquer país à beira de fazer um intervalo de 6 meses na democracia.
E o que estará a Manuela disposta a fazer à rebelia d@s portugues@s?

treine a memória

sudoku

domingo, 28 de junho de 2009

terça-feira, 23 de junho de 2009

quarta-feira, 17 de junho de 2009

eu bem digo...



... que a democracia representativa já era.
Os deputados já não representam quem os elege.
Os sindicatos já não representam os sindicalizados.
O CCISP já não representa @s docentes do ensino superior politécnico.

Petição
por uma representatividade condigna
d@s Docentes do Ensino Superior Politécnico

Pyongyang

Numa coisa tem razão: os estados unidos não podem ter o exclusivo do armamento nuclear (já há outros países com esse armamento, que lhes tiraram a exclusividade).
O Ocidente que condena o armamento nuclear no Oriente está a ser hipócrita


E nem só as armas matam!!!




























domingo, 14 de junho de 2009

MAP (petição)

ÚLTIMA HORA: fui informada, pelas sete pragas do Egi(p)to (v.d. comentários), de que a página que acolhe as petições sofreu um ataque e que estão a tentar resolver o problema; se não conseguir aceder à dita, tente mais tarde, por favor




Tentei deixar aqui um link para a petição, mas não funciona. A partir do link na página do blogue do museu também não, mas já lá deixei um alerta; espero que o acesso fique em breve desbloqueado. Entretanto, se desejar visitar a página do museu, faça o favor de clicar aqui










sábado, 13 de junho de 2009

número obsceno

- Diz-me um número ímpar.
- 3
- Diz-me um número par.
- 2
- Diz-me um número obsceno.
- Obsceno?!
- Sim!
- Não sei...
- É fácil: 200.000.000! Duzentos milhões de euros, por três jogadores é um número obsceno. Imoral. Criminoso...

terça-feira, 9 de junho de 2009

festival med 2009 (24 a 28 de Junho)


O festival med está às portas de Loulé com
gastronomia
artesanato
artes plásticas
música (world music e clássica)
teatro
animação de rua

Um programa irresistível!

domingo, 7 de junho de 2009

sábado, 6 de junho de 2009

Imperdível

Uma sugestão da minha amiga Ana Paula Moreira

para remissão dos pecados...

A- Ou ficam com uns quantos ou pomos umas quantas folhas com provas das nossas visitas aos vossos aeroportos em frente da ventoinha, para que se espalhem bem- agora, com o calor, junta-se o útil ao agradável!
P- Então e se nós rezarmos umas ave-marias?
A- Nem ave nem outro bichinho qualquer... Pensava que não queriam voltar a ouvir falar em voos!?
P- Umas velinhas à nossa senhora de Fátima...
A- Pior! Qual Fátima nem meia Fátima! Ficam com uma mão cheia deles e não se fala mais nisso.



P- Uns eurozitos e a compra de umas armitas.... revisão do contrato do coiso das lajes...
A- Mau. Não há mais conversa. De qualquer forma, estes são inocentes!
P- Têm a certeza?!
A- Claro! Com a pancada que apanharam, se soubessem alguma coisa tinham cantado.

P- Mas se são inocentes, porque não os deixam ficar aí?
A- Como? não se ouve nada... estou a CRAC ficar ZZZZZZZZZZ sem bateria. PIIIIIIIIIIIIIIIIII

quinta-feira, 4 de junho de 2009

Foi arquivado

A- Foi arquivado...
B- Foi arquivado?
A- Foi arquivado! O MP mandou arquivar!...
B- Mas mandou arquivar, como?!...
A- Mandando!!!
B - Mas arquivar... como???!!!
A- Arquivando, ora!
B- Mas será possível tanta impunidade???!!!

C - Eu até acho bem! Não têm nada que andar a espalhar mentiras! Quem pensa essa Ana Gomes que engana?! Pois se a CIA nem existe...















quinta-feira, 28 de maio de 2009

Quem engatou a marcha-atrás na democracia?!

Isto está a recuar a uma velocidade vertiginosa!
Clique para aumentar, por favor.


quarta-feira, 27 de maio de 2009

domingo, 24 de maio de 2009

ou vice-versa?

video

Comigo é mais vice-versa; gosto do que faço, mas cansa-me muito....

Grigory Sokolov

partilho o que foi comigo partilhado





sexta-feira, 22 de maio de 2009

sei um ninho

Quem sabe que espécie de passarinhos se esconde nestes ovos?

criatividade e educação

»Se não estivermos preparad@s para errar, nunca criaremos, nunca tocaremos a novidade»

sinais dos tempos...

sábado, 16 de maio de 2009

video

sexta-feira, 15 de maio de 2009

quarta-feira, 13 de maio de 2009

edson cordeiro!

Uma mulher não é de ferro.

Depois de consultas médicas, depois de exames médicos, depois de nos dizerem que precisamos de emagrecer, o que é que apetece, o que é?
Comer!
Pelo menos comigo, é assim que funciona.
E depois há uns antros de perdição a que não consigo resistir, por mais que uma vozinha me diga «Não vás por aí». Débil vozinha, esta, que não se consegue sobrepor ao apelo que me chega das vitrinas, nem ao chamamento agridoce que escorre pelas prateleiras cheias de frasquinhos e caixinhas...
Desta vez, foi a forma do boião, mais a cor e textura do conteúdo, coroados pelo nome da iguaria...

«Le Lacrime di...») Aproximei-me para conseguir ler o resto:

«...vino Moscato d'Asti DOCG». Só podia ser bom!
«Com foie gras é uma combinação divina», atirou a senhora detrás do balcão, com um ar convicentemente guloso.
«Evito comer foi gras, desde que soube como é feito; é uma questão de princípio...»
«Com queijo, com gelado, com saladas de frutas, patés...»
Nem teria sido necessário a senhora dizê-lo, pois eu já pensara nisso e já estava convencida.
E cá vim, com a minha preciosidade.

Chegada a casa, as «lágrimas» chamaram pelos queijos.
Tinha ainda um resto de queijo de ovelha de Seia.

Como sugeriam queijos de pasta mole ou curados, de ovelha ou de vaca, apeteceu-me Caprice des Dieux. E lá fui para o super.

E, para aliviar a má consciência, trouxe também um Cheddar com valor baixo de gorduras e rico em Omega3...
Depois, lembrei-me de como gostara do Bresse Bleu com pão de limão... Devia combinar bem com as «lágrimas».
Ao lado, havia um Bavaria Blu que também não devia ir mal.

Um dia não são dias, caramba, e aquele paté de cogumelos estava a chamar por mim... Partindo do princípio de que os porcos que no-lo legaram tiveram uma vida feliz e uma morte indolor, lá pedi uma tira.
Com este tipo de acompanhamentos, gosto de um pão com menos sabor. Nestas alturas, a baguette marcha bem.

Claro que tudo isto estava mesmo a pedir um sauternes mas não se justificava abrir uma garrafa grande só para mim, pelo que acabei por colocar no frigo uma Quinta da Alorna, colheita tardia.

Bem!....
Mais não digo, que ainda estou a fazer a digestão!...